quarta-feira, 16 de abril de 2014

Flávio Dino se reúne com lideranças e debate situação de municípios



O pré-candidato a governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), recebeu diversas lideranças políticas em São Luís nesta segunda-feira (14). Comitivas de Pindaré Mirim e Fernando Falcão conversaram sobre projetos para o desenvolvimento das duas localidades e articularam a realização do movimento Diálogos pelo Maranhão.  Durante as reuniões, Flávio Dino destacou a importância do governo descentralizador para os municípios.

O ex-prefeito Henrique Salgado (PDT) foi uma das lideranças de Pindaré Mirim que reforçou o trabalho de Flávio Dino desde que ocupou o cargo de deputado federal. “Ele tem compromisso com o município e estamos aqui para apoiá-lo nas eleições de outubro. Temos certeza que a vitória vai chegar porque o povo quer e Pindaré dará uma votação expressiva”, disse o pedetista.

Do mesmo município, o candidato a prefeito que ficou em segundo lugar nas últimas eleições, Dr. Alexandre (PTB), explicou que o motivo de seu apoio à pré-candidatura de Flávio Dino está na confiança depositada nele pela população. “A gente acredita que o Flávio é o melhor para o Maranhão, pois ele representa os anseios de mudança que o estado está querendo. Pindaré é um município muito pequeno, muito carente. Temos fé e confiança que com Flávio Dino vamos resolver esses problemas”, acredita. A reunião foi acompanhada por vereadores, ex-prefeitos e lideranças.



Candidato a prefeito em 2012, Raimundo Edson (PHS), e o suplente de vereador pelo PSDB, Ideuran Alcântara, também visitaram Flávio Dino na capital. “Viemos ouvir a proposta de Flávio para o Maranhão. Acredito que ele será o melhor governador para o estado. Nosso município precisa de educação, saúde, estradas, infraestrutura, pois tem um dos piores índices sociais do Brasil por conta dos políticos que nunca tiveram empenho de levar o desenvolvimento para a cidade”, enfatizou Raimundo Edson. A reunião foi acompanhada pelo prefeito de Tuntum, Tema (PSB).

Líderes de Bernardo do Mearim e Cachoeira Grande visitam Flávio Dino em São Luís



Representantes dos municípios de Bernardo do Mearim e Cachoeira Grande visitaram o escritório de Flávio Dino (PCdoB) esta semana para articular ações nos municípios. As lideranças vieram somar-se ao movimento Diálogos pelo Maranhão e organizar as atividades do movimento que está construindo o Programa de Governo de Flávio Dino.

A vice-prefeita, sete vereadores e outros dois ex-candidatos  a prefeito de Bernardo do Mearim formaram uma grande comitiva para integrar a equipe que coordenará as ações do Diálogos no município, que deverá ser visitado em breve pela comitiva de Flávio Dino e Roberto Rocha, pré-candidatos a governador e senador, respectivamente.

Os vereadores Osvaldo (PP), Leia Pereira (SDD), Nonato (PP), Nilza (PT), França (PT), Benjamin (PT) e Lindomar (PMDB), junto com a vice-prefeita Sandra Silva e os ex-candidatos a prefeito Gerônimo e Anderson ouviram de Flávio Dino e do deputado Simplício Araújo (SDD) o conjunto de propostas que estão sendo discutidas em todos os municípios maranhenses e que devem chegar a Bernardo do Mearim em breve.

“Bernardo do Mearim entende que esse é um movimento do estado como um todo. Nosso objetivo maior é mudar o Maranhão, fazer nosso estado ficar melhor,” disse Gerônimo durante a reunião. Dino reafirmou que as pré-candidaturas de oposição se fortalecem pelas propostas que têm apresentado ao longo dos debates pelo estado.

Outra grande comitiva, desta vez do município de Cachoeira Grande, conversou com Flávio Dino sobre problemas municipais. Como é o caso do hospital iniciado há vários anos, mas que não foi terminado, enquanto a população sofre com a peregrinação em busca de atendimento médico em outros municípios.



Acompanhando o vice-prefeito Aldo Gomes e o presidente eleito da Câmara, Daniel Assunção (PSB), os vereadores Henrique Muniz (PTB), Darlan Marques (PSL) e Israel Santos (PSC) visitaram Flávio Dino em São Luís para relatar as dificuldades do município e organizar ações do movimento Diálogos pelo Maranhão. A comitiva foi acompanhada também pelo dirigente do PROS, Samuel Campos.

“O que a gente precisa é de acesso à saúde. Isso já melhoraria demais a situação da nossa gente,” relatou o vereador Daniel Assunção.

Flávio Dino recebe propostas de Coletivo de Mulheres



Em plenária que reuniu diversas entidades do movimento de mulheres no Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) e Roberto Rocha (PSB) ouviram propostas de militantes e estudiosos das questões de gênero do Maranhão. Os pré-candidatos a governador e senador da chapa da oposição receberam um diagnóstico da realidade das mulheres maranhenses e uma carta de intenções do movimento de mulheres para incluir no Programa de Governo.

Uma carta foi entregue pelas lideranças do movimento de mulheres, que ressaltaram pontos importantes para mudar o modelo político no Maranhão. O mais importante deles, segundo Lourdes Leitão, é o combate à corrupção e o controle social. Somente com mecanismos de participação popular seria possível implantar um modelo realmente democrático no estado.

Flávio Dino ouviu o Coletivo de Mulheres do Maranhão e debateu propostas com as dezenas de representantes de movimentos sociais presentes. “Precisamos oxigenar a política do nosso estado. Com democracia e novas ideias,” afirmou Dino, que ouviu atentamente as propostas, firmou compromissos com os movimentos sociais e enfatizou que o debate com a categoria permanecerá ao longo dos próximos.

35% das famílias maranhenses são comandadas hoje por mulheres. Dados como este apontam a necessidade de reorganizar a participação das mulheres nos espaços de poder. Questões basilares como a Educação, a prevenção contra a violência, o controle social por parte da sociedade e a atenção às mulheres do campo e da cidade foram amplamente debatidas com Flávio Dino e Roberto Rocha.

Estiveram presentes lideranças do Fórum Estadual de Mulheres, do Conselho Municipal de Mulheres, da União Brasileira de Mulheres, especialistas da Universidade Federal do Maranhão e dos partidos que compõem a aliança em apoio às pré-candidaturas de oposição.


terça-feira, 15 de abril de 2014

Universitários reclamam de infraestrutura da Uema durante Diálogos pelo Maranhão



Os alunos do curso de Agroindústria da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) de São João dos Patos participaram do Diálogos pelo Maranhão neste sábado (11). Eles conversaram com Flávio Dino, coordenador do movimento, sobre a falta de infraestrutura da instituição de ensino superior na cidade.

Segundo os universitários, as aulas dos cursos são ministradas em salas de uma escola particular e também nas instalações do Instituto Federal (Ifma). A falta de condições adequadas para o estudo foi determinante para que alguns alunos deixassem o curso. A primeira turma teve início no segundo semestre de 2012 com 30 alunos e hoje a turma segue com 23 estudantes. "Não temos prédio, não temos material didático, não temos cadeiras, temos apenas três professores. É um curso de extrema importância pra região, mas que não tem incentivo. Pedimos que dividam a atenção dos cursos da capital como os do interior", contou Gilberto Alves Júnior, que estava acompanhado de outros sete alunos da turma.

A falta de ações do Governo do Estado fez parte do discurso de outros moradores da região. A população participou de forma ativa das discussões sobre São João dos Patos. Empresários, lavradores, lideranças políticas, sindicalistas, trabalhadores rurais estiveram presentes no Diálogos para contribuir com o processo de mudança do Maranhão.

“O pedido de São João Batista é o pedido do Maranhão: pela saúde, que é um caos porque as pessoas não têm onde se tratar; não têm estrada vicinal, o asfalto das MAs não tem qualidade; na educação, os alunos ainda andam de pau de arara. É lamentável a situação da agricultura familiar que é desenvolvida em 25% do território e atende 70% da população. Temos a Barragem da Boa Esperança, mas o governo nunca ajudou a pesca com um anzol. Aqui não chega desenvolvimento, só chega propaganda", disse o vereador Tio Jardel.

Moradora do Centro, Rosinha Amélia conta com satisfação as contribuições que o Diálogos representa para o Maranhão. "É importante a gente ouvir uma voz de mudança. Esse é um momento importante que está crescendo no estado e que nos dá oportunidade de mostrar o município . Na nossa cidade sempre tem o que melhorar: saúde, educação", listou. Grande liderança da região, Paulo do Zeca também elogiou a caravana da mudança: "É um movimento que ganha força e que está conhecendo a realidade do estado para fazer o planejamento de ações. Este dia é importante pela visita da caravana Diálogos em busca do bem comum".

Edson Francisco, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de São João dos Patos, pediu estrada para facilitar o acesso ao município. “Para a agricultura familiar nós temos um grande pedido que é acabar com isolamento por falta de estrada e assistência técnica. Que olhe pela zona rural para que possa alavancar a produção de arroz, feijão, milho e mandioca na zona rural. Hoje, quase 50% do município trabalha com agricultura familiar”, disse. São João dos Patos tem 75 anos e uma população de 24 mil habitantes.

Flávio Dino reforçou a importância de ações públicas em todos os 217 municípios maranhenses. Para a região leste, como os municípios visitados este final de semana, disse ser ideal um governo descentralizado. “Aqui na região a gente se refere, por exemplo, ao abandono das estradas. Nós precisamos melhorar a infraestrutura, compreender que um governo bom é um governo descentralizado que atende todas as regiões e avançar nos serviços públicos e nas políticas sociais: educação, saúde e segurança. É fundamental para virarmos a página do passado e iniciarmos um novo ciclo para o Maranhão”, disse.

Sucupira do Riachão
Em Sucupira do Riachão, a cobrança foi por políticas públicas. O município com seis mil habitantes, conforme lembrou Antônio Luís, presidente da Câmara de Vereadores, está esquecido pelo Governo do Estado. “Sucupira recebeu o abandono e o esquecimento do Governo. Ao sertão maranhense e ao povo de Sucupira só restou o desprezo. Precisamos de um nome que olhe pelos grandes, mas não esqueça os pequenos municípios. Hoje temos que procurar saúde e educação no Piauí, buscar em outras cidades oportunidades de emprego”, disse.

A esperança de mudança do modelo político foi citada por várias lideranças. Paulo Henrique citou a transparência como ferramenta imprescindível de governo. O vice-prefeito de Sucupira do Riachão, Ednilson Barbosa, pediu que a cidade não seja esquecida pela próxima gestão estadual. A vereadora Tânia do Cadi exigiu respeito, administração e trabalho pelo povo da cidade.

Barão de Grajaú
A programação deste sábado (12) foi finalizada reunindo lideranças de Barão de Grajaú. Novamente a pauta da região voltou-se para a agricultura familiar. O encontro foi acompanhado por técnicos do Serviço (Senar) dos municípios maranhenses de Codó, Presidente Médice e Cantanhede. Trinta e dois profissionais estão em treinamento em Floriado (PI) sobre assessoramento para os produtores rurais. “Estamos tendo aulas teóricas e práticas para melhorar os índices do campo que, infelizmente, no Maranhão são baixos. Vamos atuar para que o agricultor maranhense tenha uma produtividade melhor, disse Aeudes Ericeira, de Presidente Médice.

O baixo desempenho do Maranhão está sustentado, principalmente, na falta de assessoria. O objetivo da qualificação é assegurar aos produtores o desenvolvimento do trabalho de forma tecnificada. “Estamos nesse treinamento para identificar o erro e saber quais soluções podemos dar para os agricultores. Consequentemente, o reflexo é a melhoria da qualidade de vida dos produtores”, explicou Miqueias Fernandes, da cidade de Tuntum.

Para Roniclésio Lopes, de Cantanhede, a falta de incentivo do poder público também é um entrave para o sucesso da lavoura. “Você vê na região sul do estado produtores bem sucedidos, nas outras regiões os produtores maranhenses não têm boa produção por falta de assistência técnica de qualidade”, considerou. “A Agência de Assistência Técnica (Agerp) não supre a demanda. Antes existia a Emater, que foi extinta na década de 90. Até hoje se cria órgão, mas sem condições, estrutura e capacidade de atender os agricultores”, frisou Francisco Alves, Codó.

César Júnior, liderança de Barão de Grajaú, listou também outras prioridades: educação, saúde e segurança. “A cada dia vemos a necessidade do nosso povo. A gente espera que a mudança chegue para nossa cidade”, completou.

Em visita a 8 cidades do Leste Maranhense, Dino reúne milhares de pessoas



O movimento Diálogos pelo Maranhão esteve em mais três cidades do leste maranhense nesta sexta-feira (11): Lagoa do Mato, Buriti Bravo e Passagem Franca. No debate, temas como agricultura familiar, infraestrutura de acesso aos municípios da região e educação. Os eventos contaram com a presença de lideranças políticas e religiosas, sindicalistas, vereadores, presidentes de Câmaras municipais e população. O movimento passou também pelos municípios de Aldeias Altas, São Francisco do Maranhão, Sucupira do Riachão, São João dos Patos e Barão de Grajaú.

Lavrador aposentado do povoado Tabuleiro do Gato, Antônio Modesto, de 60 anos, pediu por estradas e água potável nas casas. "A gente vive porque tem que viver. Não que a vida esteja boa. Quando a gente tá doente tem que ir pra Teresina, aqui não tem ninguém pra atender. As estradas estão tudo ruim, não tem água tratada", reclamou.

Pela agricultura familiar, Chico Miguel, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Maranhão (Fetaema), falou da desigualdade social e econômica, além de ressaltar a importância do apoio para os trabalhadores rurais. "Este é um grande desafio, vivemos em um estado rico com um povo pobre. Não dá mais para fazer agricultura familiar como há 10 anos sem políticas públicas. É preciso investir no campo e trabalhar por uma reforma agrária séria", disse.

O prefeito de São Domingos, Kléber Andrade, liderou falou da necessidade de melhoria da infraestrutura das estradas. Ele destacou que o cuidado que a população do sertão maranhense merece. "Essa região precisa de um governo que não isole o povo, que construa estradas. Essa estrada de Passagem Franca já fez dez palanques e nunca foi construída", criticou.

Cardoso Neto, grande liderança da região, reforçou a necessidade de práticas que contribuam com a geração de emprego e renda. Em Lagoa do Mato falta oferta de trabalho para a população, o que acaba contribuindo para que jovens deixem o município. "Nossa cidade tem muitas carências. Falta emprego; assistência técnica para a agricultura, água tratada... Estamos com uma evasão nas escolas de ensino médio por falta de transporte escolar.

Para o vereador Adailton Duarte, o evento foi positivo por ter reunido várias lideranças da região para discutir uma nova forma de fazer política. "Nosso compromisso é com a população. Hoje discutimos nossa realidade e apresentamos os problemas da nossa cidade. Temos uma infraestrutura boa. Cerca de 90% de Lagoa do Mato é calçada. Mas na área da educação temos uma evasão de 40% dos alunos por falta de transporte", calculou.

Passagem Franca


Em Passagem Franca a principal demanda também foi para agricultura familiar. O Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do município estima que a população que vive do campo está entre nove e dez mil pessoas. "A necessidade do nosso povo é de um governo o que reconheça os trabalhadores rurais, invista em escolas. Aqui temos lavouras de arroz, milho e abóbora que, com incentivo, poderia gerar renda para o povo", enfatizou a sindicalista Selma Bandeira.

Participaram ainda do Diálogos em Passagem Franca, o presidente do STTR, João Batista Silveira, o presidente da Câmara, Carlinhos Casé, vereadores, presidentes de partidos.

Buriti Bravo


Na cidade de Buriti Bravo, o Diálogos  reuniu centenas de pessoas dispostas a discutir um novo modelo de desenvolvimento para o estado. Atenta ao debate, a população também deu sua contribuição. Nas prioridades da região, incentivos para a agricultura, investimento à produção do estado, politicas públicas eficientes para a saúde, educação e segurança.

"São vários problemas na nossa cidade. Falta água, sendo inadmissível que a população sofra sem água; segurança, incentivo econômico para o município. Precisamos acabar com o isolamento que vivemos. Chegam as ordens de serviço que iniciam, mas nunca têm fim. Esse momento é muito importante porque representa a mudança que o povo quer", espera Luciana Leocádio, liderança da região.

Mobilização social

O vice-prefeito de Gonçalves Dias destacou a mobilização social durante as edições do Diálogos pelo Maranhão. Percorrendo algumas cidades com a comitiva, enfatizou o crescimento da plateia a cada cidade. "Pelo que percebo, cada vez mais tem crescido a participação popular", observou Djalma Fernandes. E pediu pela região estradas asfaltadas para interligar os municípios do leste maranhense.

Flávio Dino, coordenador do Diálogos, falou sobre a proposta do movimento e ouviu as propostas de lideranças e população. Ele destacou ser esta uma etapa de aprender e conhecer a realidade do estado. "Faço questão de visitar todos os municípios do Maranhão. Precisamos transformar a vida do povo, enfrentar as 500 mil casas de taipa, resolver o problema das estradas, o isolamento que os municípios enfrentam, que acaba atrapalhando a produção e a vida das famílias", reforçou.

Em visita a Lagoa do Mato, município do Leste maranhense, Flávio Dino esteve com o vereador Adailton Duarte. Na conversa, o compromisso com a política e a população do estado. Adailton aproveitou para afirmar que contribuirá com o movimento em prol da mudança do Maranhão.

Em Buriti Bravo, Flávio Dino esteve com a presidente do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do município, Isabel Oliveira, e o Conselho Deliberativo do Sindicato. O encontro marcou o pedido de atenção à agricultura familiar e o compromisso de Flávio Dino de continuar o diálogo com a população.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Diálogos: São Francisco destaca como prioridade acesso por asfalto



Localizado no leste maranhense, o município de São Francisco do Maranhão possui uma peculiaridade: para chegar até lá, o acesso é feito apenas pelo vizinho Piauí. Das 3 entradas do município, por Amarante, Lagoa do Mato ou Barão do Grajaú, nenhuma delas possui asfalto. A população reclama a demora pelo investimento em politicas públicas na região. O tema foi tratado durante o movimento Diálogos pelo Maranhão, coordenado por Flávio Dino.

Para os moradores da cidade, a referência de capital é Teresina. Município maranhense mais próximo é Lagoa do Mato, distante 180km, mas para se ter acesso é preciso atravessar o rio e fazer um percurso de mais de 300km.

“Se tivesse estrada seria mais fácil. Para chegar aqui precisa atravessar o Piauí porque não temos acesso, estamos isolados no Maranhão”, disse Maurício Cardoso, ex-vereador e ex-prefeito de São Francisco. Segundo ele, há 2 meses o município está sem ambulância. A prestação de socorro é feita em carros fretados ou de vizinhos.

O lavrador Antônio Neto da Silva, 58 anos, reforçou a necessidade de infraestrutura para acesso ao município. Morador de São Francisco há 20 anos, pediu também apoio à agricultura familiar. Com produção de arroz e milho apenas para subsistência, chamou atenção para que se tivesse auxílio do poder público poderia transformar a lavoura em fonte de renda.

“Mas pra sair do nosso próprio braço hoje não dá não”, disse. Do mesmo pensamento compartilha Solange Maria Sousa, 45 anos, que mora no povoado Várzea Comprida, a 70km de São Francisco. “Estrada, saúde, tudo é ruim”, resumiu.

Outro tema acerca da infraestrutura foi a falta de energia elétrica em Porto da Pedra. “Estamos a 63km de distância de São Francisco e a três quilômetros de onde tem energia elétrica. Só tem promessa que a luz vai chegar e nunca chega. Sem energia não tem como o poço funcionar”, desabafou o lavrador José Ribamar Bezerra.

Dialogar para Construir

A oportunidade de dialogar com o pré-candidato a governador Flávio Dino foi elogiada pelo vereador Francisco Viana, conhecido como Piruta. Ele avaliou o movimento como uma iniciativa inovadora. “Aqui pudemos mostrar qual é a carência do nosso povo, pois nós conhecemos nossa cidade. O pedido vai desde água, a estrada, saúde, educação... Vejo que é a hora da mudança. Nosso município, com cerca de 14 mil habitantes, não temos uma só rua asfaltada”, contou.  

Prefeito de Parnarama, Davi Carvalho destacou o interesse da população em conversar sobre o leste maranhense. “Tenho observado o anseio da população por uma política que garanta atenção básica para nossa região. É um movimento popular importante”, observou.
Adelbarto Santos, liderança política de São Francisco, falou também da mobilização social e do sentimento de mudança dos maranhenses. “Essa é uma nova forma de fazer política, conversando com a população. O Diálogos representa o anseio da população, que é participar de forma ativa politica. A população da nossa cidade aceitou muito bem”, ressaltou.

Para as sugestões e propostas, Flávio Dino, coordenador do movimento Diálogos, falou da necessidade de um governo descentralizado, que esteja presente em todas as regiões do Maranhão.

“Aqui, infelizmente, essa concentração de riqueza se dá socialmente, está na mão de pouca gente e também regionalmente, pois grande parte dos municípios não é atendida. Por isso nosso Programa de Governo conta a preocupação de fazer um governo municipalista, que esteja presente nas comunidades a fim de fazer com que as politicas públicas cheguem para todos”, avaliou.

Aldeias Altas pede mais infraestrutura durante Diálogos com Flávio Dino



O município de Aldeias Altas recebeu o movimento Diálogos pelo Maranhão na noite desta quarta (9). Lideranças políticas e religiosas, vereadores, presidentes de sindicatos e população discutiram as prioridades da região. Problemas com abastecimento de água e infraestrutura de escolas estiveram entre os principais pontos do debate.

Glaydson Mendes, liderança católica de Aldeias Altas, chamou a atenção para a falta de infraestrutura, saúde e educação. Para ele, ser maranhense deveria ser motivo de orgulho, o que não acontece devido às condições em que se encontra o estado. “Falta água, segurança pública, nossas escolas são feitas de taipa. Por que nosso povo tem que andar em piçarra? Quanto tempo não demorou para ser construída a estrada que liga Aldeias Altas a Caxias e a placa ainda dizia que era uma reforma?”, questionou.

Ex-vereador de Aldeias Altas e grande liderança na região, Kedson Lima, fez um discurso cheio de sentimento. Lembrou que o sofrimento da população por não ter assistência básica de saúde e água. “A falta de água hoje é muito grande. Não temos aqui água tradada, nosso povo sofre. Não tem água, mas tem o talão. Na área da saúde, nós temos uma casa de saúde, uma maternidade fechada. Nossa população não tem acesso a saúde”, contou. Kedson explicou que até procedimentos básicos, como aferição de pressão arterial, são realizados em Caxias, município distante 30 km.



 “Eu vejo em propagandas na televisão falar de saúde, hospitais, mas os municípios não têm condição de colocar para funcionar. Por isso a importância do Diálogos para saber o que o Maranhão precisa. Hoje temos pessoas de povoados distantes que vieram para discutir políticas públicas para o nosso estado. O Maranhão está se mobilizando por um estado melhor”, continuou.

Coordenador do Diálogos pelo Maranhão, Flávio Dino ouviu atentamente as propostas de Aldeias Altas. Reforçou a disposição de transformar a realidade do estado junto com a população.

“Nosso diálogo é para combater a desigualdade. Quem pode pagar tem saúde e educação, mas quem não pode não tem. Hoje os cursos de Medicina são para alunos de outros estados porque nossas escolas públicas não têm qualidade. Por isso, fazemos esse movimento de transformação da realidade que juntos com a população estamos escrevendo”, disse.

A população participou com empolgação do Diálogos em Aldeias Altas. Lavrador do povoado de Lagoa do Arroz, Raimundo Nonato Araújo, de 56 anos, elogiou a organização. “Foi um momento muito bom. Queremos o melhor pro nosso município e por isso estamos aqui”, disse.

Também presente no evento, o presidente do PRTB, conhecido como Vovô, elogiou a iniciativa de conhecer os problemas da cidade. “Muito importante conhecer o principal problema do nosso estado. Hoje aqui não temos água. É assim que se pode conhecer o Maranhão”, finalizou.
A caravana do Diálogos pelo Maranhão tem percorrido diversos municípios para discutir melhorias e o desenvolvimento econômico e social do estado. Ironaldo Alencar, liderança política da região, destacou a importância do movimento para o Maranhão.

“O Diálogos proporciona a aproximação da população para discutir as políticas públicas que podem ser desenvolvidas no estado. É uma oportunidade de conhecer os problemas que assolam o nosso estado. Aqui tem pessoas de coragem, que querem conversar, que dão a cara para discutir o Maranhão”, disse, referindo-se às lideranças presentes no encontro.

Outras lideranças políticas estiveram presentes nos eventos: Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Roberto Rocha (PSB) e Leo Coutinho (PSB).